O estudo de valência das notícias de 2014 relativas ao tema política mostram uma abundância de notícias negativas sobre as instituições políticas brasileiras (partidos, Congresso, governos, etc.), agências, empresas e políticas públicas, e personalidades políticas, dando grande visibilidade a notícias sobre corrupção, desgoverno, má administração, mal funcionamento de políticas públicas, etc., interpretando esses aspectos da política como se a democracia brasileira estivesse em crise. Para verificar se tal diagnóstico já estava presente na grande mídia em 1998, apresentamos gráficos comparando o somatório de matérias e chamadas de capa de todos os jornais de acordo com sua valência – positiva, negativa ou neutra – no que se refere ao tema política em 1998 e em 2014. Em seguida, apresentamos as coberturas de cada um dos jornais individualmente.

O período analisado vai de 6 de julho a 5 de outubro em ambos os pleitos: no caso de 1998, do primeiro dia oficial de campanha até o dia seguinte ao primeiro turno, quando foram divulgados os resultados parciais da apuração dos resultados, e, no caso de 2014, do primeiro dia oficial de campanha ao dia da votação do primeiro turno.

Cobertura agregada

Nos gráficos abaixo temos o número agregado das manchetes e chamadas de capa sobre instituições políticas (partidos, Congresso, executivo, etc.), agências, empresas e políticas públicas, e personalidades políticas brasileiras, classificadas como positivas, negativas ou neutras em 1998 e em 2014.

1998

2014

Estado de S. Paulo

1998

2014

Folha de S. Paulo

1998

2014

O Globo

1998

2014