02/04/2018 -

Entre 21 e 27 de março de 2018, as 41 páginas que monitoramos publicaram 4.590 posts, que totalizaram 4.261.402 compartilhamentos. Este é o maior índice de compartilhamentos registrado desde o início da pesquisa. As páginas que mais postaram foram: Movimento Contra a Corrupção – São Paulo (304 posts), Juiz Sergio Moro – O Brasil está com você (303 posts) e Metropolitana FM (275 posts).

 

Tabela 1: 10 posts mais compartilhados da semana (21/3/2018 a 27/3/2018)

20 semana

Os 10 posts da tabela acima concentram 17% do volume total de compartilhamentos alcançados pelas 41 páginas ao longo do período. O recurso mais usado nos posts foi o vídeo (50%), seguido pela foto (40%) e pelo link (10%).

Nesta semana observamos um comportamento anômalo. O ranking dos posts mais compartilhados foi dominado por duas páginas: Vem Pra Rua Brasil e Movimento Brasil Livre (MBL). Além disso, todos os posts tratam do mesmo assunto: a protelação do julgamento do pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A página Vem Pra Rua é autora de 60% dos posts do ranking, inclusive daquele que essa semana ocupa a primeira posição. Este post consiste em um vídeo da participação do juiz Sergio Moro na audiência pública promovida pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado no último dia 9 de março sobre o projeto de lei que autoriza a prisão de pessoas condenadas em segunda instância por crimes hediondos e contra a administração pública, mesmo que ainda estejam recorrendo aos tribunais superiores. Acompanha o vídeo a convocação para o ato que reivindica a prisão de Lula no dia 3 de abril, véspera do julgamento do habeas corpus do ex-presidente.

O segundo post mais compartilhado da semana é assinado pelo MBL, que reagiu criticamente ao fato do STF ter concedido à Lula liminar que evita a sua prisão até o julgamento do recurso. Trata-se das fotos dos ministros do STF com a legenda: “Vergonha! Hoje o STF provou que está acovardado”.

O terceiro post é do Vem Pra Rua e pede que Carmen Lúcia não renuncie à presidência do STF. A mensagem é motivada pela informação do site O Antagonista sobre a possibilidade da ministra renunciar ao cargo devido ao suposto “golpe” que está sendo planejado para salvar Lula e acabar com a prisão em segunda instância.

O quarto e o quinto posts do ranking são do MBL. No quarto post, o movimento combina a foto de uma pessoa encarcerada à outra de Lula com a seguinte legenda: “Mais de 200 mil pessoas estão presas no Brasil sem nunca ter sido condenadas”. E o STF resolve deixar em liberdade um condenado em duas instâncias”. O quinto post remete à matéria de jornal com linha editorial abertamente de direita, O Diário Nacional. Esta corrobora a informação de O Antagonista sobre o suposto esquema existente no STF para favorecer Lula.

O sexto, o sétimo, o oitavo e o nono posts são do Vem Pra Rua Brasil. O sexto post consiste numa nota de repúdio do movimento sobre o adiamento da análise do recurso pelo STF, interpretado como “um show triste e repugnante”. O sétimo é um vídeo que convoca para o ato marcado para o dia 3 de abril. Tendo como pano de fundo várias imagens das mobilizações pró-impeachment que destacam a bandeira nacional, o grupo pede aos seus fãs que compartilhem o post, comentem “eu vou!” e convidem os amigos. Seu objetivo é bater a meta de 200 mil convidados para o evento. Quando analisamos o post em 31 de março, o havia 131.570 pessoas convidadas para o ato.

O oitavo post consiste na edição de um áudio do ex-presidente Lula que repete uma de suas frases: “nós temos uma suprema corte totalmente acovardada”. Acompanha o áudio a enquete: “O STF tem que negar o HC de Lula?”. No momento em que analisamos o post, 71 pessoas (98,6%) tinham votado “sim” e uma (1,4%) “não”. O nono post também convoca a população às ruas no dia 3 de abril utilizando o vídeo de um buzinaço. No post, consta que até aquele momento 15.891 pessoas tinham sido convidadas para o evento, número que não bate com o do post anterior. Ao que parece, o número aumenta automaticamente enquanto se visualiza o post.

O décimo post, agora do MBL, chama as pessoas para outro ato, marcado para o dia 4 de abril, em frente ao STF, “contra a operação salva-Lula”. Se encarregam da convocatória o fundador do movimento Kim Kataguiri e outro militante do movimento. Todavia, na página do MBL, há avocamento também para o ato de 3 de abril.

Em resumo, houve predomínio total dos posts dos mais expressivos movimentos da nova direita no ranking dessa semana. Suspeita-se que tal feito é produto da utilização por parte destes movimentos de aplicativos que burlam o atual algoritmo do Facebook, como o Voxer[1], que foi banido pela empresa recentemente e causou o bloqueio de páginas ligadas a Bolsonaro da plataforma[2].

Os movimentos da nova direita se alinharam novamente com o objetivo de mobilizar a opinião pública para pressionar o STF a não acatar o habeas corpus pedido pela defesa de Lula. Se em 2014 estes se uniam em torno do objetivo de destituir Dilma, em 2018 agem para tirar Lula da disputa eleitoral, facilitando assim o caminho para candidaturas da direita. O MBL declarou apoio a Flávio Rocha e já manifestou simpatia às propostas de Bolsonaro. O Vem Pra Rua não publicizou ainda sua posição, mas sabe-se que um dos seus fundadores filiou-se ao Partido Novo para concorrer ao governo do Estado de São Paulo. Neste conturbado cenário, os movimentos da nova direita saem na frente nas mídias sociais, utilizando intensamente o Facebook como instrumento para influenciar a decisão da mais alta corte do país acerca de assunto de suma relevância política. Resta saber se essa estratégia terá algum impacto.

 

[1] MBL usa aplicativo irregular para compartilhar conteúdo no Facebook:

https://oglobo.globo.com/brasil/mbl-usa-aplicativo-irregular-para-compartilhar-conteudo-no-facebook-22540709.

[2] Facebook retira do ar páginas de apoiadores de Bolsonaro: http://politica.estadao.com.br/blogs/coluna-do-estadao/facebook-retira-do-ar-paginas-de-apoiadores-de-bolsonaro/