10/04/2018 -

Entre 28 de março e 3 de abril de 2018, as 41 páginas por nós monitoradas publicaram 2.965 posts, que geraram 2.201.716 compartilhamentos. As páginas que mais postaram esta semana foram: G1 (246 posts), Metropolitana FM (245 posts) e SBT (221 posts).

 

Tabela 1: 10 posts mais compartilhados da semana (28/3/2018 a 3/4/2018)[1]

Entre 28 de março e 3 de abril de 2018, as 41 páginas por nós monitoradas publicaram 2.965 posts, que geraram 2.201.716 compartilhamentos. As páginas que mais postaram esta semana foram: G1 (246 posts), Metropolitana FM (245 posts) e SBT (221 posts).

 

Os 10 posts da tabela acima concentram 10% do volume total de compartilhamentos alcançados pelas 41 páginas ao longo do período. O recurso mais usado nos posts foi o vídeo (60%), seguido pela foto (40%).

O post mais compartilhado da semana pertence a Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e consiste numa transmissão ao vivo de sua chegada à Curitiba-PR. O deputado é recebido pelo ator Alexandre Frota, e ovacionado por dezenas de pessoas com os gritos: “Mito, mito! ”, “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”, e “1, 2, 3, 4, 5 mil, queremos Bolsonaro presidente do Brasil”. Na saída do aeroporto, Bolsonaro participa de um comício. Em seu discurso, ataca Lula constantemente, e exalta a direita e a polícia. O candidato diz que “o Brasil precisa de um presidente honesto, com Deus no coração e que seja patriota”. Defende ainda eleições com voto impresso e que “em nome do povo, a polícia militar atire para matar”. Bolsonaro se despede mandando “um beijo para as mulheres e um abraço hétero nos homens”. Os manifestantes respondem gritando “República de Curitiba” e “eu vim de graça”. Em seguida, seu filho, Flávio Bolsonaro, assume a palavra, acusando a grande imprensa de perseguir sua família, e sugere que as pessoas assistam os vídeos de Olavo de Carvalho. Ao final, um homem pega o microfone, avisa que ontem Bolsonaro encaminhou o projeto de lei que suspende os benefícios dos ex-presidentes da República, e convoca as pessoas ao ato contra Lula naquela mesma data.

O deputado também responde pelo quarto post. Trata-se da reportagem de uma emissora de TV de Foz do Iguaçu-PR sobre o comentário do ex-vereador Dito Vitorassi (PT) acerca dos ataques bolsonaristas à caravana de Lula. No áudio vazado, o ex-vereador incentiva o MST a enfrentá-los “à altura, com foice, machado e facão na mão”.

Bolsonaro assina ainda o sexto post da lista. Este consiste na cobertura de sua chegada à Curitiba pelo SBT de Ponta Grossa. O apresentador não disfarça seu entusiasmo ao anunciar a matéria. Na reportagem, o deputado afirma que em seu governo, Sergio Moro será ministro do Supremo e que o ataque à caravana de Lula é uma farsa. A matéria é encerrada com depoimentos dos apoiadores de Bolsonaro.

O segundo post do ranking é assinado pela página Deboas na Revolução. Este ironiza a repercussão racista da pesquisa divulgada recentemente sobre a provável fisionomia de Jesus Cristo. O tuite replicado diz: “o povo tudo chocado brigando nas redes por teoricamente Jesus não ser modelo europeu, loiro, alto, de olhos azuis…O Auto da Compadecida já dizia isso lá em 2000, baseado num livro de 1955, vcs nunca repararam?”.

O terceiro post, do Vem Pra Rua, consiste numa foto do ministro Gilmar Mendes com sua suposta afirmação a um jornalista: “Devolva essa pergunta a seu editor, e manda ele enfiar isso na bunda!”. O Vem Pra Rua também obteve a quinta colocação, que reproduz a entrevista concedida pelo presidente Lula a Mario Kertész, na Rádio Metrópole de Salvador. Enquanto o ex-presidente fala, roda uma enquete “Lula tem que começar a cumprir sua pena de 12 anos de prisão? ”. No momento em que analisamos o post, o sim vencia com 424 votos (96,9%).

O último post da lista é, mais uma vez, do Vem Pra Rua. Por meio de um vídeo, o grupo chama para o ato do dia 3/4/2018, um dia antes da votação do habeas corpus de Lula pelo STF. O vídeo, que é repleto de imagens das manifestações organizadas pelo movimento, destaca a foto do juiz Sergio Moro e pergunta: “Quantas vezes na história do Brasil você viu tanta coragem? Quantas vezes você viu tanta determinação, e ao mesmo tempo, tanta competência e equilíbrio? Quantas vezes você viu corruptos terem tanto medo de alguém? Este homem e seu grupo estão, de verdade, mudando o Brasil. Quando ele mais precisa de você, você vai deixá-lo sozinho, ou vai para a rua?”

O sétimo post do rol é uma charge do Ranking dos Políticos em que um presidiário diz a um estudante: “Ei! Psiu…O governo investe mais em mim do que em você”. Acompanha a informação de que um preso custa R$2,4 mil por mês ao Estado, enquanto um estudante de ensino médio custa R$2,2 mil.

O oitavo post pertence à página do Senado Federal. Este esclarece que a perturbação de sossego é uma contravenção penal, passível de até 3 meses de prisão.

O nono post é assinado por Marco Feliciano (PODE-SP). Neste, o deputado parabeniza a empresa Netflix pela produção da série “O Mecanismo”, sobre a Operação Lava Jato, que atribui os atos de corrupção especialmente às lideranças do PT. Em um episódio da série, a famosa frase de Romero Jucá sobre a “necessidade de estancar a sangria”, por exemplo, é atribuída à Lula. Feliciano aproveita ainda para atacar a esquerda de modo geral, dizendo que ela não aceita a liberdade de expressão fora dos seus padrões e toma como exemplo a polêmica instalação do homem nu em um museu, os vídeos do canal Porta dos Fundos e o processo que sofreu por comentar que “os esquerdistas têm o cérebro do tamanho de uma ervilha”.

Em suma, observamos que o personagem de maior destaque nos posts essa semana foi, mais uma vez, Lula. As páginas de direita se utilizaram do Facebook para depreciar-lhe publicamente e mobilizar a população aos atos em prol da rejeição de seu habeas corpus pelo STF. Impressionou também como Bolsonaro obteve uma cobertura jornalística deliberadamente favorável no Paraná. Os veículos em que o deputado foi notícia não se preocuparam em seguir o princípio da neutralidade, endossando sua candidatura. Tal conduta infringe a lei eleitoral. Além disso, causa estranhamento o fato de páginas ligadas a Bolsonaro terem sido punidas pelo Facebook na semana anterior e a página do próprio deputado continuar no ar. Essas constatações corroboram a tese de que há seletividade na aplicação das leis no Brasil e que diferentes atores políticos trabalham em conjunto para impedir a candidatura de Lula, visto que os seus interesses se alinham a partir da definição de Lula enquanto seu inimigo comum. Resta saber se essa retórica de demonização do inimigo, identificado com Lula e o PT, vai continuar mesmo após a prisão do ex-presidente. Também vale a pena notar se a Nova Direita vai conseguir manter esse padrão de dominância no ranking dos posts mais compartilhados do Facebook depois dos últimos acontecimentos.

[1] Tendo em vista os nossos objetivos, foram excluídos cinco posts do ranking dessa semana: 1 do SBT, 1 da revista VEJA, 2 do G1 e 1 de Adilson Barroso (PEN).