19/08/2018 -

Entre os dias 1º e 7 de agosto de 2018, as 155 páginas que monitoramos publicaram 7.333 posts, que geraram 3.981.412 compartilhamentos. As páginas que mais postaram no período foram SBT (287 posts), Terra (286 posts) e Juiz Sergio Moro – o Brasil está com você (280 posts).

Tabela 1: 20 posts mais compartilhados da semana (1/8/2018 a 7/8/2018)[1]

semana 39

Os 20 posts da tabela acima concentram 18% do volume total de compartilhamentos alcançado pelas 155 páginas ao longo do período. O recurso mais usado nesses posts foi o vídeo (55%), seguido da foto (40%) e do link (5%).

Na primeira semana de agosto, o ranking dividiu-se basicamente entre as páginas do primeiro e do segundo colocados nas pesquisas de intenção de voto, Lula (PT) e Bolsonaro (PSL). Lula, que assina o post com maior número de compartilhamentos da semana, emplacou seis posts, enquanto Bolsonaro conseguiu sete colocações. Vamos a eles.

Os posts de Lula dedicaram-se a comunicar a oficialização de sua candidatura pelo PT por meio de fotos de Lula e Haddad e vídeos do evento do PT e do Festival Lula Livre. Nas fotos dos santinhos, Lula e Haddad aparecem rodeados em meio ao povo.

Da solenidade do partido, foram selecionadas as falas de Paulo Pimenta (líder do PT na Câmara), de Fernando Haddad (vice de Lula), de Vagner Freitas (presidente da CUT), de Raimundo Bonfim (presidente da CMP), de Lindbergh Farias (líder do PT no Senado), da ex-presidente Dilma e de Gleisi Hoffman, senadora e atual presidente do partido (PT-PR). Já no vídeo do festival, diversos artistas, como Chico César, Gilberto Gil, Chico Buarque, Beth Carvalho e Odair José, chamaram o coro “Lula Livre”.

Dentre os posts de Lula, houve ainda o esclarecimento sobre um meme que viralizou na rede, segundo o qual a cantora Pablo Vitar seria vice de Lula. Foi veiculado também um vídeo do candidato falando sobre o Prouni e o FIES e seus resultados na inclusão de jovens de baixa renda no ensino superior. Ao fim do vídeo, Lula afirma que “Educação não é gasto, é investimento”.

Seguindo à esquerda, tivemos Manuela d’Avila (PC do B) respondendo por duas posições na lista. Ambos os posts tratam de uma nota emitida pela Capes sobre as graves consequências da redução do orçamento para a ciência e a pesquisa no país, dentre as quais elenca-se a suspensão de todas as bolsas de pós-graduação e dos programas de cooperação internacional, além do corte drástico nos programas de formação de professores da rede básica. Em um deles, d’Avila compara o dinheiro necessário para a continuidade das bolsas de pós-graduação (R$300 milhões) ao valor gasto por Temer em emendas parlamentares para convencer congressistas a votar favoravelmente à PEC do teto dos gastos (R$881 milhões).

No campo da direita, Bolsonaro lidera o volume de compartilhamentos. No período sob análise, seus posts reproduziram trechos de sua participação em programas televisivos e houve a transmissão ao vivo de um programa promovido por sua própria campanha na internet denominado “Brasil entrevista Bolsonaro”. Sua arguição no canal GloboNews Eleições 2018 rendeu dois posts no ranking. No primeiro, ao ser perguntado sobre o Brasil que quer para o futuro, Bolsonaro diz, entre outras coisas, que almeja um país sem divisões entre gênero, classe ou raça, onde “se respeite a família acima de tudo”, “com menos violência e mais emprego” e “que invista em ciência sem viés ideológico”. O candidato finaliza afirmando que, “se Deus quiser, será presidente da República”. Já o segundo consiste em um vídeo no qual afirma-se que Bolsonaro “pediu Miriam Leitão em Casamento”, chamou Merval Pereira de “bicha enrustida”, disse “que era apaixonado por Gabeira”, “encurralou o Camarotti, que sonega impostos”, “elogiou muito Trump”, “denunciou o editorial que Roberto Marinho escreveu apoiando os militares em 1964”, e mesmo assim, não conseguiram chamá-lo de corrupto.

Bolsonaro obteve elevado número de compartilhamentos também no post em que traz uma de suas respostas no programa Roda Viva. Quando questionado sobre como solucionar a dívida da escravidão, Bolsonaro alegou “que não há dívida”, que “não escravizou ninguém” e que “os portugueses nem pisaram na África”. Em seguida, é inserida a declaração de MC Catra no programa Pânico, corroborando sua fala, dizendo que“os negros não foram escravizados pelos brancos” e que “não precisam de cotas”.

Seu programa na internet garantiu à página as três últimas posições do rol. Este teve mais de duas horas e contou com a presença de seu filho, Eduardo Bolsonaro, Paulo Guedes, Allan dos Santos, Bernardo Küster e Flávio Morgenstern. Os participantes responderam mais às perguntas enviadas pelos seguidores do que o próprio Bolsonaro.

Além desses fatos, chamou a atenção particularmente o post da UOL, no qual Roger, vocalista da banda Ultraje a Rigor, critica os governos do PT, diz que não houve superação da pobreza nem melhorias na educação, e vê Bolsonaro como a única alternativa de mudança. O músico afirma ainda que não teme a implementação de uma ditadura militar pelo candidato Jair Bolsonaro, mas que receia uma ditadura de esquerda, caso o PT seja eleito. Este post foi compartilhado também pelo candidato.

Por fim, tivemos posts do Movimento Brasil Livre (MBL), do Vem Pra Rua e de João Amoêdo (NOVO). No quinto post da lista,  o MBL traz uma comparação entre a repercussão midiática das mortes da vereadora do PSOL-RJ, Marielle Franco, e da policial Juliane Franco. Alega-se que a segunda não teve tanta visibilidade quanto à primeira pois “a narrativa não favorece a imprensa e os movimentos de esquerda”. No oitavo post, o Vem Pra Rua afirma: “PT ama o PMDB Foi só chegar a eleição que o PT já está se aliando ao MDB novamente. Cadê o golpe agora?”. No nono post, por meio de vídeo, Amoêdo declara ser “o único candidato que está vindo com um partido realmente diferente”, que “não usa o dinheiro público”, que “não está fazendo nenhum tipo de coligação”, que “vem com uma proposta nova, de devolver o poder às pessoas”.  O candidato declara ainda “trazer a experiência de quem sempre ficou do outro lado da mesa, contando o dinheiro para pagar as contas” e que se propõe “a não ser uma autoridade, mas um funcionário que cuidará do interesse dos cidadãos brasileiros”.

Em resumo, observamos que a disputa segue polarizada no Facebook entre o PT e a nova direita, respectivamente representados pelas candidaturas de Lula e Bolsonaro. Enquanto os posts do primeiro exploraram seu caráter popular, os do segundo privilegiaram trechos de sua participação em programas televisivos. Manuela D’Avilla e João Amoêdo seguem aparecendo eventualmente no ranking. Mesmo não contando com grande estrutura partidária, esses candidatos possuem páginas com altos índices de engajamento. Finalmente, vale registrar o post da UOL com o trecho da entrevista do músico Roger, que declara seu voto em Bolsonaro. Vejamos nas próximas semanas se este foi ocasional ou não.

[1] Excluímos da lista dessa semana quatro posts de Adilson Barroso – Ambientalista e um do G1 por não tratarem de política.