20/08/2018 -

Entre os dias 8 e 14 de agosto de 2018, as 155 páginas que monitoramos publicaram 8.802 posts, que geraram 4.236.809 compartilhamentos. As páginas que mais postaram no período semana foram as de mídia: Exame (355 posts), Portal R7 (351 posts) e O Globo (342 posts).

Tabela 1: 20 posts mais compartilhados da semana (8/8/2018 a 14/8/2018)[1]

semana 40

Os 20 posts da tabela acima concentram 11% do volume total de compartilhamentos alcançado pelas 155 páginas ao longo do período. O recurso mais usado nesses posts foi a foto (60%), seguida do vídeo (40%).

Na segunda semana de agosto, que antecedeu o dia de registro das candidaturas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os posts das páginas da nova direita tiveram melhor desempenho em compartilhamentos.

O presidenciável que emplacou mais posts no ranking foi Jair Bolsonaro (PSL). Em seus cinco posts, todos vídeos, Bolsonaro defendeu-se de denúncias veiculadas pela imprensa acerca de uma suposta funcionária fantasma de seu gabinete, Waldelice Conceição, e sobre o exercício ilegal da profissão de dentista por seu pai. O candidato afirmou ser perseguido, enfatizando matérias negativas a seu respeito nas Revista Época e Isto É, e no jornal O Globo. O candidato aproveitou também para reproduzir trechos de suas falas nos debates, reforçando suas posições “contra a ideologia de gênero”, “a favor da Escola Sem Partido” e do “sepultamento do Foro de São Paulo” e “desejando um presidente que não divida o país” e “que pratique o livre mercado”, pelo “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. Bolsonaro editou também em seus posts dois conteúdos da TV Globo. No post mais compartilhado da semana, reproduziu trecho de Luciano Huck comentando sobre a origem estudantil dos finalistas do quadro “Soletrando” de seu programa. O apresentador elogia as escolas militares e o trabalho do Exército brasileiro. Na quarta posição do ranking, um excerto do Jornal da Globo em que a jornalista Renata Lo Prete ratifica a fala feita pelo presidenciável em programa do canal fechado GloboNews segundo a qual o doleiro Alberto Yousseff teria afirmado em depoimento para a Operação Lava Jato que Bolsonaro era um dos três únicos deputados do PP que não foram pegar dinheiro na Petrobras.

Outras páginas de direita ocuparam várias posições na lista: Movimento Brasil Livre (MBL), Vem Pra Rua Brasil e Juventude Contra Corrupção. As candidaturas de esquerda – Lula (PT), Guilherme Boulos (PSOL) e Ciro Gomes (PDT) – foram o tema das postagens. As páginas trouxeram posts contrários à candidatura de Lula, denominado “presidiário ficha-suja”, e à aliança do PT com o MDB. Ridicularizaram também a fala de Ciro Gomes no debate da TV Bandeirantes sobre sua alternativa para saldar as dívidas de 63 milhões de brasileiros no SPC, por meio de  memes como: “Tiro você do SPC e trago a pessoa amada em 3 dias”. O candidato foi criticado também por sua posição dúbia acerca da Operação Lava Jato. Já Boulos foi usado como contraponto a Bolsonaro. No debate da TV Bandeirantes, ao ser questionado por Boulos sobre “a imoralidade de receber auxílio-moradia mesmo possuindo casa própria”, Bolsonaro responde que “o benefício está na lei e que se é imoral, é outra história”, mas que imoral é Boulos “que invade a casa dos outros”.

Do lado da esquerda, destacaram-se as publicações de Lula e de Guilherme Boulos. O primeiro teve postagens bem-sucedidas quando transmitiu ao vivo um debate com Fernando Haddad, Manuela D’Avilla, Gleisi Hoffman e José Sérgio Gabrielli, veiculado simultaneamente ao debate promovido pela TV Bandeirantes, do qual Lula foi impedido de participar.  O vídeo tem início com a leitura, feita por Haddad, de uma carta de Lula acerca de sua ausência no debate da TV Bandeirantes. Posteriormente, os participantes enumeraram aquilo que crêem ser os feitos das gestões petistas, debateram pontos do programa de governo de Lula. Durante a transmissão, foram exibidos também vídeos com mensagens do ex-presidente. Os convidados finalizam: “Na época do Lula, o Brasil era mais feliz”. A página trouxe ainda um vídeo com uma carta de Lula aos brasileiros. Nela, o ex-presidente afirmou, entre outras coisas, que “a pobreza cresce e as perspectivas econômicas do país pioram a cada dia”, que “parece que não bastou prender(em-lhe), querem calá-lo”, que “trabalhou para que a inclusão social fosse o motor da economia e para que todos os brasileiros tivessem o direito real à educação, à saúde e à moradia”, e que “o Brasil precisa restaurar sua democracia”.

O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, reproduziu uma matéria do Jornal Nacional, acerca da suposta funcionária fantasma do gabinete de Jair Bolsonaro (PSL), a vendedora de açaí Waldelice Conceição, seguida de observação sua no debate da TV Bandeirantes sobre o caso: “(Bolsonaro)…diz que vai acabar com a bandalheira, mas é farinha do mesmo saco”. O presidenciável criticou também o reajuste salarial dos ministros do STF aprovado naquela semana: “O STF aprovou reajuste para os juízes que custará quase 1 bilhão a mais por ano aos cofres públicos. Há dois anos, negou ação contra o congelamento dos gastos em saúde e educação porque o ajuste fiscal era o fundamento das economias saudáveis. Ajuste nos olhos dos outros é refresco”. A página Pragmatismo Político também garantiu um lugar no ranking com um post contendo uma matéria fazendo a mesma avaliação negativa acerca da decisão dos ministros.

Por fim, tivemos um post da Mídia Ninja de um meme com Cabo Daciolo (PODE), Jair Bolsonaro (PSL), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (REDE) dizendo “Glória a Deus”,  seguida da imagem de Jesus reagindo de forma desdenhosa: “Aff”.

Em suma, observamos que os acontecimentos do debate na TV Bandeirantes pautaram a maioria dos posts na segunda semana de agosto. Os presidenciáveis realizaram cortes em suas falas que pudessem favorecer suas candidaturas ou ser utilizadas para criticar os adversários. As páginas da nova direita manifestam cada vez mais sua inclinação a Bolsonaro e, nesta semana, distribuíram seus ataques entre Lula, Ciro Gomes e Guilherme Boulos. Já a esquerda, ao que parece, tem usado o Facebook para aumentar o alcance de suas propostas, visto o pouco espaço que desfrutam na atual disputa em outros meios de comunicação. Dada a largada oficialmente, estaremos atentos aos meandros da corrida eleitoral no Facebook.

[1] Excluímos da lista dessa semana dois posts do G1 e um de Adilson Barroso – Ambientalista por não tratarem de política.