28/08/2018 -

 

Entre os dias 15 e 22 de agosto de 2018, as 155 páginas que monitoramos publicaram 8.633 posts, que geraram 5.000.324 compartilhamentos. As páginas que mais postaram nessa semana foram as de mídia: Veja (317 posts), Exame (314 posts) e G1 (311 posts).

Tabela 1: 20 posts mais compartilhados da semana (15/8/2018 a 22/8/2018)

semana 41

Os 20 posts da tabela acima concentram 16% do volume total de compartilhamentos alcançado pelas 155 páginas ao longo do período. Metade deles usou o recurso vídeo, e a outra metade, foto.

A página que mais emplacou posts no ranking pertence a Lula, que também assina o post mais compartilhado da semana. A liderança de Lula nas diferentes pesquisas de intenção de voto, sempre acima de 35%, e o registro da candidatura da chapa Lula-Haddad foram os assuntos que pautaram suas mensagens e as das páginas do PT e de Manuela D’Ávila (PC do B- RS). D’Ávila, Gleisi Hoffman (PT-RS), Fernando Haddad (PT-SP), Eduardo Suplicy (PT-SP) e Luciana Santos (PC do B-PE) comentaram esses acontecimentos nos posts, destacando o apoio popular da candidatura e o que chamam de luta pelo resgaste da soberania popular no Brasil. Manuela divulgou também uma liminar emitida pela ONU segundo a qual Lula deve ter livre acesso à mídia e não deve ser impedido de se candidatar.

O segundo presidenciável a ocupar mais posições no ranking foi João Amôedo (NOVO), com 5 posts. A página do candidato vem alcançando cada vez mais compartilhamentos, e nessa semana, desbancou a de Jair Bolsonaro (PSL-RJ), que comumente polariza o debate na rede com Lula. Amoêdo investiu em vídeos, nos quais se colocou no mesmo patamar do cidadão comum, criticou “os altos impostos, a burocracia e os péssimos serviços públicos”, e os atuais sistemas de saúde e segurança, mas não revelou suas propostas. Chama a atenção a semelhança do discurso do candidato com aquele feito por Fernando Collor, na campanha de 1989, em que sublinhava a meritocracia e sua classe social (Amôedo declarou ao TSE uma fortuna de RS425 milhões), e como se fosse um silogismo lógico, por esse motivo seria incorruptível. Ademais, assim como Bolsonaro, os apoiadores de Amôedo se assemelham a Collor naquele momento quando demonizam o comunismo e o associam ao PT, e mais especificamente, a Lula. Dentre os posts do candidato que alcançaram o ranking, tivemos também vídeos do jornalista Fernando Moura Brasil, que defendeu sua candidatura ao vivo no Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, e do técnico de vôlei Bernardinho, que o apoia.

Nas palavras de  Moura Brasil: “(Amôedo) é uma novidade saudável na política brasileira depois de décadas de controle esquerdista nos centros disseminadores de ideias da sociedade, ou seja, escolas, universidades, imprensa, show business e mercado editorial, e dos consequentes 14 anos de PT no poder. Ficar rico com o próprio trabalho na iniciativa privada virou quase um crime, enquanto criminosos que roubam dinheiro público para além daquele que os seus partidos já abocanham, viraram as almas mais honestas deste país.”

Jair Bolsonaro ocupou três posições no rol do período. Em seus vídeos, comentou a entrevista dada FHC ao jornal O Globo, em que o ex-presidente defende a possibilidade de uma aliança entre PT e PSDB no segundo turno contra Bolsonaro, o que o deputado denominou de “união do Mensalão com o Petrolão”. Bolsonaro afirmou ainda que se trata “do grande projeto ‘deles’: indulto para Lula e todos os envolvidos nos escândalos de corrupção”. O presidenciável usou sua página para se defender de uma acusação veiculada em uma reportagem de O Globo segundo a qual o candidato teria batido o ponto e deixado a Câmara, deixando de participar da votação ocorrida na ocasião. Ele argumenta que não havia ocorrido votação na Câmara na data em questão, o último dia  15.de.agosto. Averiguamos que, na realidade, a matéria do jornal fazia referência à sessão deliberativa do dia anterior, 14 de agosto, acerca de projeto que amplia possibilidades de medidas de proteção a mulheres vítimas de violência.

Por fim, tivemos ainda posts do Movimento Brasil Livre (MBL) e do Vem Pra Rua contrários a Lula, questionando seu patrimônio e a legitimidade de sua candidatura.

Em suma, no ranking dessa semana predominaram as páginas dos presidenciáveis. Enquanto Lula segue liderando o debate pela esquerda, no campo da direita, a página de Jair Bolsonaro foi desbancada pela de João Amôedo, que parece estar crescendo na preferência dos internautas com essa posição política. Já Geraldo Alckmin se faz notar pela ausência. Apesar de possuir a maior coligação e contar com o maior tempo de TV, desde o início de nosso monitoramento, o candidato não marcou presença no ranking sequer uma vez. Observamos ainda que essa eleição, ao organizar-se em torno da candidatura petista, faz a direita recuperar o mesmo pacote interpretativo utilizado pela campanha de Collor em 1989 contra Lula. O Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral terá início na próxima terça-feira. Veremos se assim como os debates, o HGPE renderá posts com grande volume de compartilhamentos no Facebook.