27/09/2018 -

Entre os dias 16 e 22 de setembro de 2018, as 155 páginas que monitoramos publicaram 9.973 posts, que geraram 7.578.133 compartilhamentos. As páginas que mais postaram no período foram as de mídia: UOL (421 posts), O Globo (389 posts) e Portal R7 (389 posts).

 

Tabela 1: 20 posts mais compartilhados da semana (16/9/2018 a 22/9/2018)

semana 45

Os 20 posts da tabela acima concentram 19% do volume total de compartilhamentos alcançado pelas 155 páginas ao longo do período. 45% dos posts continham foto, 40%  continham vídeo e 15%, link.

A página que mais emplacou posts no ranking dessa semana pertence a Jair Bolsonaro (PSL). Ocupando praticamente metade das colocações, o presidenciável falou pela primeira vez após o atentado que sofreu. Esse post, que lidera o volume de compartilhamentos, consistiu numa transmissão ao vivo de 18 minutos, na qual agradeceu o apoio recebido e acusou Lula e o PT de terem um esquema que possibilitaria fraudar o resultado das eleições. Segundo o presidenciável, trata-se de um projeto conjunto a outros países latino-americanos, especialmente as “ditaduras de esquerda”. Bolsonaro refere-se a Lula no vídeo como “o presidiário”, e afirma que, se eleito, Haddad (PT) assinará indulto para Lula e o nomeará Ministro da Casa Civil. Os outros posts do candidato foram registros de seu processo de recuperação no hospital. Houve ainda uma publicação, que responde pelo 8º lugar, em que Bolsonaro falou sobre o significado de sua filha Laura em sua vida. Muito provavelmente tentando amenizar os efeitos das últimas declarações feitas por seu vice, General Mourão, o candidato frisou que sua esposa “era mãe solteira”, e que “ser pai de uma mulher é diferente”.

Os movimentos da nova direita respondem por 4 posts no ranking. Nessa semana,  Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem Pra Rua Brasil concentraram-se em criticar as candidaturas de Fernando Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT) a partir de associações com o governo de Nicolás Maduro. A imprensa internacional registrou o atual presidente da Venezuela jantando em um restaurante caríssimo em Istambul. O fato também rendeu uma posição no ranking à revista Exame. Em um dos memes, o MBL criticou: “Enquanto 70% das crianças venezuelanas estão desnutridas, Maduro viaja para comer em restaurante que custa mil dólares por refeição. Este é o socialismo que Haddad e Lula querem para nós”. Em outro post, que trazia chamada de uma matéria do jornal Folha de São Paulo (“Venezuela usa força para matar população mais vulnerável, aponta anistia”), afirmou: “O PT e o PDT acham que a Venezuela é uma democracia. Avise seus amigos e familiares sobre isso”.

Dentre as críticas ao PT, tivemos ainda um post do portal de notícias UOL que remete ao Blog do Josias. Na publicação, o colunista tece duras críticas ao partido, chama Haddad de “hipotético cabeça de chapa”, Lula de “mentor-presidiário” e afirma que “Lula age como os líderes de facções criminosas”, pois “transformou a cadeia em escritório político”.

Outro candidato da direita que marcou presença no rol dessa semana foi João Amoêdo (Novo). Em seus posts, o presidenciável buscou, sobretudo, diferenciar-se de Bolsonaro. Na sabatina da Veja, quando questionado sobre o provável segundo turno entre Haddad e Bolsonaro, Amoêdo criticou os dois candidatos. O primeiro, pelo projeto econômico adotado pelo PT e pelos escândalos de corrupção envolvendo o partido, e o segundo, pela baixa produção legislativa e posturas conservadoras. O candidato finaliza dizendo: “eu não consigo imaginar que serão essas pessoas que vão tirar o Brasil da crise que está”. Em outro post, Amoêdo desmentiu a notícia de que haveria firmado um acordo com Bolsonaro para que assumisse um ministério em seu possível governo.

As páginas da esquerda cujos posts obtiveram maior volume de compartilhamentos no período foram a da candidata à vice-presidenta Manuela D’Ávila (PC do B) e da Mídia Ninja. Ambas as páginas apresentaram vídeos com as falas truculentas, autoritárias, elitistas, racistas e homofóbicas proferidas por Jair Bolsonaro, como parte da campanha #EleNão que tomou a rede nas últimas semanas. Dentre elas, o vídeo da Mídia Ninja destaca: “se morrer (sic) alguns inocentes, tudo bem”,  “vamos fazer um Brasil para as maiorias. As minorias têm que se curvar”, “eu nunca entraria em um avião pilotado por cotista”, e que “não pagaria o mesmo salário para homens e mulheres”.

Em resumo, observamos que os posts da direita foram os mais compartilhados na terceira semana de setembro. Novamente, os assuntos preferenciais dessas páginas foram as críticas ao PT e, em menor medida, ao PDT. Também o post do blog do Josias, hospedado em site da grande imprensa, corroborou o discurso dessas páginas. Do outro lado, as páginas de esquerda, e especialmente as mulheres, vêm realizando intensa e criativa campanha contra o candidato do PSL a partir da #EleNão, e se utilizando as redes para convocar ao ato do próximo dia 29. Vejamos os impactos dessas campanhas negativas, visto que caminhamos para as últimas semanas antes da votação.