04/10/2018 -

Entre os dias 23 e 29 de setembro de 2018, as 155 páginas que monitoramos publicaram 10.464 posts, que geraram 8.724.767 compartilhamentos. As páginas que mais postaram naquela semana foram as de mídia: UOL (442 posts), Estadão (438 posts) e Catraca Livre (417 posts).

Tabela 1: 20 posts mais compartilhados da semana (23/9/2018 a 29/9/2018)

semana 46

Os 20 posts da tabela acima concentram 10% do volume total de compartilhamentos alcançado pelas 155 páginas ao longo do período. O recurso mais usado nesses posts foi o vídeo (42%), seguido da foto (25%), do link (25%) e do texto (8%).

As páginas da nova direita continuam predominando enquanto autoras dos posts mais compartilhados do Facebook. Jair Bolsonaro (PSL) foi o presidenciável a ocupar maior número de posições no ranking (6). No post mais compartilhado da semana, a postagem do ex-capitão redirecionava o usuário para matéria do jornal O Estado de São Paulo, acerca da decisão do 23º Encontro do Foro de São Paulo, organização que reúne diversos partidos de esquerda da América Latina e do Caribe, ocorrido em Nicarágua, de apoiar o governo de Nicolás Maduro na Venezuela. A reportagem destaca a participação do PT e do PC do B no evento e as denúncias de violência por parte do aparato militar oficial do Estado e de militantes chavistas.

Em seus posts, Bolsonaro também se defendeu de matérias publicadas na revista Veja e no jornal O Globo. A primeira trata de acusações de agressão feitas por sua ex-esposa, Ana Cristina Valle, junto ao Itamaraty à época em que o casal se separou. O candidato afirmou que Valle já havia desmentido as acusações presentes nos autos e que o processo seguia em segredo de justiça, por envolver seu filho, então menor, e portanto não poderia ter sido divulgado por veículos da imprensa. O Movimento Brasil Livre (MBL) emplacou post no ranking sobre o mesmo assunto, com um vídeo no qual Valle confirma a versão de Bolsonaro. O episódio também rendeu a 20ª colocação para um post da UOL.

A segunda acusação de que Bolsonaro foi alvo essa semana foi publicizada em matéria do jornal O Globo, cujo link ocupou a 17ª posição no ranking. Trata-se de uma lista de imóveis não declarados por Bolsonaro desde 2006 ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O candidato respondeu apenas sobre um dos imóveis, informando que ele havia sido vendido no período entre pleitos, e dessa maneira, não poderia ser declarado. Bolsonaro postou, ainda, vídeos das visitas que recebeu no hospital do deputado Marco Feliciano (PODE-SP) e do ator Carlos Verezza.

Cabe destacar uma postagens veiculada pela página do candidato do PSL sobre frases supostamente ditas pelo ex-presidente Lula. O candidato agregou a uma fala real do ex-presidente, comentários xenófobos, misóginos, racistas e nazistas como se tivessem sido proferidos por Lula, alegando que se fossem dele (Bolsonaro) haveria indignação. Bolsonaro afirmou também que na propaganda do PSDB, ele aparece mais que o candidato do partido, e que este vem “gastando milhões para inventar mentiras frágeis a seu respeito”.

João Amoêdo (Novo) também garantiu posts na lista dessa semana. O candidato comemorou a decisão do ministro Fux favorável ao seu partido acerca do impedimento da entrevista de Lula e procurou mobilizar seus eleitores a conseguir mais apoiadores para que ele alcance 6% das intenções de voto na próxima pesquisa Datafolha, e assim, possa participar do último debate, promovido pela Rede Globo na sexta-feira antes das eleições.

Outros presidenciáveis alcançaram o ranking de forma terceirizada, ou seja, por meio de outras páginas. A resposta favorável e fervorosa do Cabo Daciolo (Patriota) à jornalista Débora Begamasco no Debate UOL, Folha de S. Paulo e SBT sobre a política de cotas foi replicada pela página da UOL e viralizou na rede. A página do PT postou uma edição dos comícios de Haddad (PT) em Juazeiro (PE) e Petrolina (BA), o que lhe rendeu a 19ª posição.

Por fim, tivemos 3 posts da Mídia Ninja sobre os atos da campanha das mulheres #EleNão, contra Jair Bolsonaro, que ocorreram em todo o país no último dia 29. Foram especialmente compartilhados o vídeo da atriz Bruna Linzmeyer convocando as pessoas à manifestação, a panorâmica do evento no Largo da Batata em São Paulo, e a transmissão ao vivo do ato em Belo Horizonte. As imagens mostram o caráter multitudinário das manifestações, que contaram com centenas de milhares de pessoas.

Em suma, nessa semana o debate político na rede configurou-se em torno da candidatura de Bolsonaro. De um lado, as acusações de agressão e ocultação de patrimônio renderam-lhe cobertura negativa pela grande imprensa e lhe incitaram à defesa. De outro, os protestos contra o candidato em todo o país tiveram grande repercussão na rede. Caminhamos para a última semana antes do 1º turno. Veremos até que ponto a visibilidade conquistada nas redes contribuirá para que os candidatos obtenham sucesso nas urnas.