24/04/2018 -

Entre os dias 10 e 17 de abril de 2018, as 41 páginas que monitoramos publicaram 7.159 posts, que geraram 5.983.227 compartilhamentos. As páginas que mais postaram esta semana foram: UOL (491 posts), Juiz Sergio Moro – o Brasil está com você (448 posts) e VEJA (445 posts).

 

Tabela 1: 10 posts mais compartilhados da semana (10/4/2018 a 17/4/2018)

semana 23

 

Os 10 posts da tabela acima concentram 7% do volume total de compartilhamentos alcançados pelas 41 páginas ao longo do período. O recurso mais usado nos posts foi a foto (70%), seguida do vídeo (30%).

O ranking dessa semana foi dominado por três páginas: Vem pra Rua Brasil, Movimento Brasil Livre (MBL) e Jair Messias Bolsonaro. Analisaremos seus posts em blocos.

Vem Pra Rua Brasil assina quatro posts do rol, incluindo o mais compartilhado da semana, que consiste numa foto de Lula coçando a cabeça junto à mensagem: “Justiça bloqueia R$30 milhões de Lula”. Acompanha o post a pergunta: “Ué? Mas Lula não era pobre?”.

No quarto post, o Vem pra Rua traz a foto de Aécio Neves (PSDB-MG) conversando com Lula, sob a legenda: “Dois corruptos. E tem gente que passa o dia brigando com os amigos por causa de política! Cadeia para os dois!”. No quinto post, a mesma página apresenta uma foto de Sergio Cabral e o comentário: “Absurdo! De volta para o RJ. Gilmar Mendes, Toffoli e Lewandowski mandam Cabral de volta para o RJ”.

No sexto post do ranking, o Vem Pra Rua apresenta as fotos de Aécio Neves e Geraldo Alckmin (PSDB-SP) combinadas ao texto: “Alckmin renuncia, perde foro e seu inquérito vai para a primeira instância. Aécio terá denúncia julgada no STF na próxima semana. Viu, petista? Bater panela, vestir-se de verde e amarelo e cobrar punição de todos os corruptos dá resultado. Experimente!”.

O MBL responde por três posts da lista. No segundo post, traz uma foto de um protesto “dos coxinhas, dos camisas da CBF e paneleiros”, como eles mesmos observam, e a legenda: “Parabéns Brasil Verde e Amarelo que foi às ruas defender a Lava Jato. Aécio é réu hoje graças a vocês”. O movimento assina também o sétimo post, que consiste numa foto de Lula acompanhada do texto: “Exemplo de superação. 6 dias sem roubar ninguém. Parabéns, Lula!”. No décimo post, o MBL traz a foto de Aécio com a notícia: “Urgente! Aécio Neves vira réu no STF por corrupção passiva e obstrução de justiça”.

Por fim, temos a página de Jair Bolsonaro (PSL-RJ), que ocupa três posições no ranking dessa semana. No terceiro post, o presidenciável posa para foto na rua com uma mulher negra ao lado do seu carrinho da marca “Dona Sacolé”. Outra pessoas negras os rodeiam. O vídeo, embora não seja contextualizado, parece ser uma tentativa de desconstruir a denúncia da PGR contra Bolsonaro, pois vem acompanhado do texto: “muito racismo e homofobia”.

No oitavo post, Bolsonaro reproduz o trecho de uma sessão na Câmara em que o líder do PT, Paulo Pimenta (PT-RS), pergunta: “Quem é o candidato de vocês?”, e um coro responde e repete várias vezes: “Bolsonaro”. Pimenta completa: “Eu estou falando sério. Vocês não têm um candidato para enfrentar o Lula”. No nono post, Bolsonaro comenta o editorial do Estadão, sob o título: “PT joga cartada Bolsonaro”. No editorial, o jornal afirma que o PT tenta convencer o Supremo a soltar Lula com o argumento que o ex-presidente é o único capaz de deter “um mal maior: a eleição de Bolsonaro”. Bolsonaro diz ainda que a Globo e o Ministério Público também tentam tirá-lo da disputa com a denúncia de homofobia, misoginia e racismo que sofreu pela Procuradora Geral de República, Raquel Dodge. O deputado a rebate ironicamente dizendo que aguarda ser denunciado por corrupção. Bolsonaro finaliza falando “que até dia 7 de outubro farão de tudo para me destruir. Não obterão sucesso, porque eu acredito em Deus e confio no povo brasileiro”.

Em suma, observamos que os posts das páginas da nova direita voltam a predominar no ranking dos mais compartilhados. Embora essas páginas procurem associar o petismo e Lula à corrupção em praticamente todas as suas postagens, outros políticos foram alvejados por elas nos últimos dias. Aécio, Alckmin e Cabral, que tiveram processos e pedidos avaliados pela justiça durante essa semana, foram atacados e chamados de corruptos.

Mais uma vez notamos elementos comuns entre as agendas da Nova Direita e da grande mídia: partilham o antipetismo e o apoio ao “partido da Lava-Jato”, que são duas faces da mesma moeda. O estilo jornalístico diverge, os meios também, mas a mensagem é bastante similar: promovem indiretamente os candidatos da anti-política. Isso torna-se ainda mais verdadeiro agora, ao incluírem políticos do PSDB no seu rol de alvos.

Bolsonaro parece ser o beneficiário mais direto dessa estratégia. Embora pertença a um partido pequeno, esse pré-candidato reivindica ser o baluarte da honestidade e dos valores tradicionais da família brasileira. Não parece ser casual que mesmo com as denúncias da Folha de S. Paulo, e mais recentemente, da PGR, o candidato seja poupado por essa páginas. Vejamos se a aliança entre a candidatura de Bolsonaro e as páginas da Nova Direita no Facebook vai se consolidar ao longo do período de campanha, ou se elas passaram a militar em prol de outras candidaturas.