06/10/2018 -

Nesta segunda edição do Boletim Eleições, apresentamos a cobertura do período mês de setembro, pleno período eleitoral. Com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral de retirar Luiz Inácio Lula da Silva da disputa, consideramos neste boletim somente Fernando Haddad como o candidato do Partido dos Trabalhadores. Foram analisados 2348 textos, publicados nas capas e páginas de opinião dos diários O Globo, Folha de São Paulo, Estadão e Valor Econômico, além de aparições no Jornal Nacional.

A cobertura dos cinco candidatos melhor colocados nas pesquisas manteve os 93% de todos as matérias publicadas sobre candidatos por esses meios no mês de setembro, nas páginas analisadas pelo Manchetômetro.

Gráfico 1 – Cobertura dos candidatos

grafico1

Fonte: Manchetômetro

Gráfico 2 – Cobertura dos partidos

grafico2

Fonte: Manchetômetro

Jair Bolsonaro

A cobertura midiática no mês de setembro teve um novo protagonista:: Jair Bolsonaro. O  candidato do PSL não apenas foi alçado ao primeiro lugar das pesquisas de intenção de voto após o impedimento de Lula, mas também foi o candidato mais citado pelos veículos sob análise, com 455 aparições, que representaram 32% da cobertura de todos os candidatos.As notícias a seu respeito foram, em sua maioria, negativas. Destacamos três momentos decisivos: o dia 7 de setembro, dia seguinte ao atentado do qual o candidato foi vítima em Juiz de Fora; o dia 19 de setembro, quando a proposta de recriação da CPMF e unificação do Imposto de Renda, elaborada por Paulo Guedes, economista assessor de Bolsonaro, veio a público; e o dia 20, quando pesquisa de intenção de votos do Datafolha foi publicada. No período, o PSL também alcançoudestaque sendo o segundo partido com maior presença na cobertura.

Gráfico 3 – Cobertura de Jair Bolsonaro

grafico3

Fonte: Manchetômetro

Fernando Haddad

Fernando Haddad foi escolhido como substituto de Lula pelo PT, porém não recebeu da mídia a mesma atenção que seu antecessor. Com 21% da cobertura dos candidatos, Haddad foi citado em 292 oportunidades esua cobertura se demonstrou mais equilibrada que a de Jair Bolsonaro, e que a do próprio Lula. Houve dois dias de grande destaque: 12 de setembro, data da oficialização de sua candidatura, e dia 20, quando foi divulgada pesquisa Datafolha na qual Haddad alcançou o segundo lugar,com 16% das intenções de voto. Assim como no período estudado anteriormente, o Partido dos Trabalhadores é o de maior presença na cobertura diária, com 314 citações, superando inclusive Haddad.

Gráfico 4 – Cobertura de Fernando Haddad

grafico4

Fonte Manchetômetro

Geraldo Alckmin

O candidato do PSDB, assim como identificamos no boletim anterior, possui a terceira maior cobertura, embora isso não reflita sua posição nas pesquisas de intenção de voto. Com 16% do total, Alckmin esteve presente em 232 matérias com uma presença grande de notícias neutras em comparação a Bolsonaro e Haddad. Os dias em que Alckmin foi mais noticiado foram o dia 20 de setembroe 25 de setembro, data em que foi divulgada pesquisa Ibope que o apresentou na quarta posição, com 8% das intenções de voto. Seu partido, o PSDB se manteve como terceiro mais citado na cobertura.

Gráfico 5 – Cobertura de Geraldo Alckmin

grafico5

Fonte Manchetômetro

Ciro Gomes

O candidato do PDT, Ciro Gomes, apesar do terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, é apenas o quarto na cobertura da mídia, com 171 aparições, que representam 12% da coberturatotal dos candidatos. As notícias neutras predominam e seus dias de maior presença nos jornais foram 12 e 25 de setembro, dias em que foram lançadas pesquisas de intenção de voto do Ibope. Seu partido é o que obteve a menor cobertura.

Gráfico  6 – Cobertura de Ciro Gomes

grafico6

Fonte: Manchetômetro

Marina Silva

A candidata Marina Silva é a quinta colocada na cobertura e também nas pesquisas. Representando 11% da cobertura total dedicada aos candidatos, Marina esteve presente em 155 oportunidades. A candidata da REDE possui uma característica diferente dos demais: não foi assunto em todos os dias da campanha. O dia 12 de setembro é aquele com maior presença da candidata da Rede, quando houve o lançamento de uma pesquisa do Ibope e repercussões da sua entrevistaao jornal O Globo. No dia 20 de setembro, Marina também teve algum destaque, quando foi divulgada nova pesquisa do Datafolha. A REDE, partido de Marina, possui pouco espaço na cobertura.

Gráfico 7 – Cobertura de Marina Silva

grafico7

Fonte: Manchetômetro

Conclusão

Assim como havíamos identificado no primeiro boletim,a cobertura dos candidatos segue o formato “corrida de cavalos”, destacando o nome com maior percentual de intenção de voto nas pesquisas eleitorais e seu concorrente mais próximo, Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, respectivamente. Cabe destacar que quando olhamos para os partidos a situação se inverte e é o PT o partido com maior destaque desse período, e não o PSL. O Partido dos Trabalhadores, foi mais citado que seu próprio candidato.Contudo, é preciso dizer que a cobertura do PT é fortemente negativa, ao contrário daquela recebida pelos outros partidos.

Até agora, a exceção do período de comoção em torno do atentado a Jair Bolsonaro, a grande mídia tem dedicado aos dois primeiros colocados na corrida eleitoral uma cobertura dominantemente negativa, enquanto Geraldo Alckmin e, em menor medida, Ciro Gomes recebem cobertura neutra, ainda que menos intensa.