24/06/2019 -
Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O décimo-quinto dia da cobertura de Vaza Jato é marcado pela repercussão dos vazamentos divulgados pela  Folha de São Paulo no dia anterior. São 17 novos textos sobre o tema nos três jornais.

 

O Globo

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O Globo traz apenas cinco textos sobre o escândalo, quatro deles neutros. Em reportagens publicadas em 24 de junho o jornal apresenta as informações divulgadas pela Folha de São Paulo, destacando na mesma reportagem as respostas de Moro e da Operação Lava Jato. Em sua coluna no jornal, Fernando Gabeira defende que ainda é cedo para criticar a Lava Jato e que devemos esperar novos materiais para assumirmos um posicionamento em relação à Operação.

 

Estadão

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O Estadão continua com uma cobertura tímida da Vaza Jato, com apenas três textos. Tal qual O Globo, o jornal repercute as novas mensagens divulgadas em uma matéria única que traz os dois lados do caso. O jornal também aponta para o fato de estar nas mãos de Celso de Mello a decisão sobre o caso de Lula.

 

Folha

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

A Folha de São Paulo traz nove textos sobre a Vaza Jato em sua edição de 24 de junho, 5 neutros e 4 críticos a Moro. O jornal abre espaço para texto de Cristiano Zanin e Valeska Teixeira, advogados de Lula, no qual criticam a atuação de Sérgio Moro no caso de Lula, reafirmando que o pedido de habeas corpus ora no STF foi feito bem antes da eclosão do vazamento e que, portanto, não depende deles para sua avaliação. Em outra coluna, Celso Rocha de Barros destaca que com a Vaza Jato, Moro foi atraído para o mundo de fraudes e desprezo pela democracia do bolsonarismo. O jornal também explora a repercussão da frase em latim que Moro divulgou em seu twitter pessoal no domingo, a qual foi criticada por alguns políticos. O jornal ainda traz notícia sobre as desculpas que o ministro da Justiça pediu ao MBL por chamá-los de tontos em gravação vazada.

 

Conclusão

O acordo entre Folha e Intercept consolidou a liderança do jornal paulista na exploração desse escândalo. Os outros dois jornalões optam por uma cobertura tímida, ainda que não foram totalmente insensíveis aos vazamentos trazidos pela Folha. Se tal tendência vai se manter inalterada com os próximos vazamentos, só o tempo dirá.

(Não houve edição do Jornal Nacional ontem).