25/06/2019 -

 

 

dia16

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

A partir de hoje, nosso boletim traz também a análise dos posts mais compartilhados no Facebook no dia anterior.

O décimo sexto dia da cobertura de Vaza Jato tem como foco o adiamento do julgamento da liberdade de Lula pelo Supremo Tribunal Federal. Tal qual o dia anterior, foram 17 textos sobre o escândalo nos três jornais.

 

O Globo

glb

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O Globo tem cinco textos sobre o assunto, quatro deles neutros. O jornal carioca apresenta os bastidores da decisão do Supremo de adiar o julgamento de Lula em reportagem. Em artigo de opinião, Merval Pereira argumenta que há incômodo da Corte com a ilegalidade das provas, o que tem dificultado a decisão de aceitar ou não como evidência as mensagens publicadas. Apesar disso, o colunista destaca que a Lava Jato continua com o apoio popular. Carlos Andreazza também defende que as graves acusações da Intercept precisam ser periciadas para serem levadas à sério, principalmente ao atingir a Lava Jato, um marco revolucionário no país.

Estadão

esp

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O Estadão mantém reduzida cobertura, com apenas quatro textos que tem alguma ligação ao escândalo, três deles neutros. Em reportagem, o jornal destaca a posição de Lula, que em carta a Celso Amorim, seu ex-chanceler, defende que a anulação de suas ações não cancelaria a Lava Jato como um todo. Além disso, a coluna do Estadão destaca que a decisão de adiar o julgamento da suspeição de Moro permite que novas divulgações deixem claro a relação entre o ex-juiz e a Lava Jato.

Folha

fsp

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Novamente a Folha faz a maior cobertura entre seus pares, com oito textos, cinco deles críticos a Moro. Na coluna Painel, Daniela Lima escreve que a tática da defesa de Lula é colecionar as conversas reveladas pelo Intercept para compor uma manifestação junto à ONU. O jornal também divulga uma entrevista com Marcelo Knopfelmacher, ex-conselheiro da OAB, que defende o direito de Moro a sua opinião e que a proximidade entre juízes e procuradores é normal. Em contrapartida há a notícia de que um grupo de juízes requereu à AJUFE (Associação dos Juízes Federais do Brasil) a suspensão de Moro devido às condutas expostas nas publicações.

 

Jornal Nacional

Na edição do JN de ontem (24/06) não houve cobertura da Vaza Jato.

 

Facebook

A partir de hoje traremos neste boletim a repercussão diária da Vaza Jato no Facebook a partir dos dados coletados nas páginas que monitoramos no projeto M Facebook . Dos dez posts mais compartilhados do dia 24, 5 abordam o escândalo. Em vídeo que alcançou 5 mil compartilhamentos, o presidente Lula reafirma sua honestidade e acusa Moro de enganar o povo brasileiro por não basear sua sentença em provas, mas em convicção, como agora é revelado nas conversas vazadas pelo Intercept. O ex-presidente denuncia a preocupação da Rede Globo em “salvar Dallagnol e Moro”, alegando que não se pode publicar informações sem revelar as fontes. Em seus posts, a Mídia Ninja noticiou manifesto assinado por treze juristas de renome internacional, que baseados nas denúncias, pedem a libertação do ex-presidente Lula e a anulação do seu julgamento, e a participação de Glenn Greenwald em audiência na Câmara sobre a Lava Jato nesta terça-feira. A página Conversa Afiada Oficial fez o mesmo apelo à soltura de Lula por meio de meme. Em contrapartida, o senador do Podemos Álvaro Dias recuperou matéria do Jornal Nacional sobre o triplex no Guarujá, atribuído pela emissora à Lula na tentativa de corroborar a sentença de Moro que condenou o ex-presidente.

 

Conclusão

O décimo sexto dia de cobertura da Vaza Jato confirma a tendência de esvaziamento da cobertura de Estadão e, em certa medida, de O Globo, e o protagonismo da Folha. A entrevista de Knopfelmacher, figura de pouca relevância no mundo jurídico que para defender Moro chega afirmar ser normal juízes e procuradores conversarem sobre casos, mostra que o jornal paulista está fazendo grande esforço para mostrar-se equilibrado, enquanto publica os vazamentos do Intercept. Enquanto isso, no Facebook os posts das páginas de esquerda ganharam a batalha do dia anterior, fenômeno que só acontece quando estão ativados por acontecimentos que são caros à própria esquerda. .