27/06/2019 -

Por Eduardo Barbabela, Juliana Gagliardi, Natasha Bachini e João Feres Jr.

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

A aprovação do projeto de lei de abuso de autoridade, que ganhou força com o vazamento das mensagens entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, foi o principal assunto da cobertura de 27 de junho. Com o debate agora orbitando também o Supremo Tribunal Federal, a Vaza Jato esteve presente em 25 textos nas edições dos jornais impressos de hoje, uma cobertura menor do que a do dia anterior.

O Globo

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O Globo traz sete textos sobre o escândalo, os sete neutros. Além de noticiar a aprovação do projeto de lei sobre abuso de autoridade, o jornal carioca destaca a resposta da Força Tarefa da Lava Jato sobre o projeto, que afirma existirem pegadinhas no projeto. O jornal também noticia a declaração do ministro do STF Edson Fachin de que o STF só deve julgar o caso de Moro e Dallagnol depois que o caso passar por instâncias inferiores.

Estadão

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

O Estadão também traz sete textos sobre a Vaza Jato em sua edição, três neutros, três críticos a Moro e um crítico ao Intercept. Em editorial sobre o julgamento da suspeição de Moro, o Estadão destaca ser essencial que os dados divulgados pela Intercept sejam cuidadosamente analisados e que a autenticidade e integridade dos dados sejam comprovadas. Em sua coluna, William Waack afirma que as mensagens sugerem que Moro e Dallagnol tinham preocupações maiores do que apenas uma batalha jurídico-legal, vislumbrando um confronto político contra a classe política e o PT. Waack emenda que o “idealismo” da norma legal não deve pautar a luta realista contra o político corrupto que a Força Tarefa Lava Jato trava. O jornal também traz entrevista com o ministro do STF Gilmar Mendes que, apesar de se negar a opinar sobre um possível afastamento de Moro do Ministério da Justiça, critica os falsos heróis criados pela mídia em casos como a Lava Jato.

Folha

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

Número de textos publicados desde o primeiro dia da cobertura do escândalo (10/06/19)

A Folha de São Paulo tem onze textos sobre o tema em sua edição de 27 de junho, nove deles neutros. Em entrevista publicada na edição de hoje, o juiz da Satiagraha Fausto De Sanctis diz que não há nada de errado na conduta de Moro e critica o STF, acusando o tribunal de violar a ética judicial. O jornal também discute uma possível perícia nos celulares de Moro e dos Procuradores que, apesar de possível, dificilmente acontecerá.

Jornal Nacional

Na edição de ontem (26/6) do Jornal Nacional não houve menção à  Vaza Jato.

Facebook

Em decorrência da apreensão pela polícia espanhola de 39kg de cocaína no avião presidencial, as denúncias da Vaza Jato ficaram em segundo plano nas discussões políticas do Facebook durante o dia 26, pautando apenas dois posts. A Mídia Ninja compartilhou novamente o post de ontem e alcançou mais de 18 mil compartilhamentos. Já a página do Estadão noticiou que 270 juízes federais manifestaram apoio a Moro. Segundo a reportagem, os magistrados afirmam que, mesmo se autênticas, as mensagens “não ofendem o princípio da imparcialidade que rege a conduta de um magistrado” e que “revelam ainda o diálogo interinstitucional republicano rotineiro em todos os fóruns do País”. O post com essa matéria atingiu 10.980 compartilhamentos

Conclusão

No 18o dia da cobertura da Vaza Jato nota-se a resiliência do apoio da grande mídia à Operação e aos setores do Judiciário e Ministério Público que a promoveram. Os meios do Grupo Globo insistem em uma cobertura morna sobre o caso, com a maioria dos colunistas de opinião de O Globo expressando apoio a Moro, ou cobertura alguma, como é o caso do jornal televisivo mais visto no país. O Estadão adota receita similiar a  de seu par carioca. Já a Folha insiste na estratégia de continuar a divulgar e repercutir os vazamentos ao passo que publica entrevistas com juristas obscuros mas que emprestam apaixonado apoio a Moro e à Lava Jato. Enquanto isso, no Facebook os sites de direita, sempre muito ativos, parecem estar evitando o assunto. Seria isso uma estratégia ou um sinal de que estão retirando seu apoio a Moro?