06/08/2019 -

dia57

 

No 57° dia de cobertura, as edições diárias dos jornais dedicaram apenas 4 textos à Vaza Jato, o menor número desde 23 de julho. A repercussão dos vazamentos no Supremo Tribunal Federal continua sendo o principal assunto relacionado à Vaza Jato.

 O GLOBO

glb

Não houve menção à Vaza Jato na edição de 5 de agosto.

ESTADÃO

esp

O Estadão publicou apenas um texto sobre o tema. Na Coluna do Estadão, Alberto Bombig defende que há procuradores e magistrados preocupados com a votação do projeto de lei contra o abuso de autoridade em meio aos ataques a Moro e Dallagnol, o que poderia favorecer a intimação de membros do Ministério Público. Apesar de acharem que a opinião pública ainda os favorece, os membros do MP pensam que o episódio tem desgastado o sistema de justiça.

FOLHA

fsp

A Folha também apresentou uma cobertura acanhada, com apenas três textos. Em artigo de opinião, Leandro Colon afirma que Raquel Dodge tem feito vista grossa para os atropelos de Dallagnol com o objetivo de conquistar apoios estratégicos para ser reconduzida ao cargo de PGR. Na coluna Painel, Daniela Lima assegura que a entrada do STF no caso das mensagens vazadas determinará se o caso continuará na Justiça Federal, ou se irá para a corte, caso se confirme a extração de dados de pessoas com foro especial. A jornalista também aponta que a partir de setembro devemos ter as primeiras discussões sobre a legalidade e a autenticidade dos diálogos. Segundo texto publicado na Folha, Moro distorceu reportagem do jornal para justificar sua omissão na prestação de contas de palestras.

 

CONCLUSÃO

Conforme temos destacado, a presença da Vaza Jato nos jornais está associada cada vez mais às consequências institucionais dos vazamentos. Veremos nos próximos capítulos como a grande mídia cobrirá esse novo momento do escândalo.