Navegação

Escândalos

Ao longo da cobertura do primeiro turno das eleições de 2014, vários escândalos apareceram na cobertura dos três jornais estudados (Folha de S. Paulo, O Globo e Estado de S. Paulo) e do Jornal Nacional. Contrários ao PT são: Correios de Minas Gerais, Doleiro Yousseff, Graça Forster na CPI, Mensalão, Miriam Leitão na Wikipedia e Petrobrás. Contrários ao PSDB temos: Aeroporto de Cláudio, Alstom, Cantareira/Água em São Paulo, Mensalão Tucano e Metrô de São Paulo. Nesta página encontram-se os gráficos que representam a frequência e distribuição temporal desses “escândalos” ao longo o segundo turno das eleições, tanto nas capas dos jornais impressos como nas matérias do Jornal Nacional. A unidade de tempo é a semana.

Situação x Oposição (agregado)

O gráfico abaixo mostra a distribuição temporal de matérias sobre escândalos agregadas por partidos, PSDB e PT, respectivamente, oposição e situação. A base de dados cobre os textos de capa do segundo turno das eleições, de 6 de outubro até hoje, e a unidade de tempo é a semana. A cor azul marca os escândalos contrários ao PSDB e a vermelha os contrários ao PT.

 

Série Temporal Semanal: Situação (PT)

O gráfico abaixo mostra o número de matérias que cada escândalo contrário ao PT recebeu durante a campanha para o segundo turno, que teve início no dia 6 de outubro de 2014. A unidade de tempo é a semana.

Série Temporal Semanal: Oposição (PSDB)

O gráfico abaixo mostra o número de matérias que cada escândalo contrário ao PSDB recebeu durante a campanha para o segundo turno, que teve início no dia 6 de outubro de 2014. A unidade de tempo é a semana.

 

Última atualização: 29/10/2014 às 23:00